quinta-feira, 11 de março de 2010

Pregadores ou Profissionais do Púlpito

Nunca na história do cristianismo ocidental surgiram tantos “comunicadores do evangelho” como agora no século XXI.
A razão de tal fenômeno, talvez, seja em decorrência das políticas de liberdade de consciência e de expressão, bem como do esvaziamento dos seminários teológicos sérios que visam à preparação de ministros do evangelho.
Estamos na era digital! Mas também estamos na era do oportunismo eclesiástico, da vã glória perdida da egolatria. Pregadores são aqueles que proclamam a Boa Noticia de Jesus Cristo: morte, ressurreição e segunda vinda. Os “comunicadores do evangelho” apenas visam o lucro, a fama e o poder. As ovelhas de Jesus Cristo são tratadas como “investidoras do reino”, mantenedoras dos charlatões da fé, escravas dos predadores espirituais, patrocinadoras dos “artistas de Deus”. A moda agora é ser gospel como se o gospel fosse a performance do cristianismo de Jesus Cristo.

Os nossos púlpitos foram invadidos por esses profissionais da religião, tanto interpretes da música sacra quanto manipuladores de palco.
São verdadeiros lobos vestidos de ovelhas.
A intenção dessa gente que de Deus nada tem é só uma coisa: explorar os humildes, gente sem conhecimento de causa, gente simples e sem cultura.

O Brasil vive uma verdadeira crise de identidade teológica profunda, por isso é tempo de Deus levantar vozes proféticas, capazes de mudar o curso da história do evangelismo nacional. Cobrar fortunas para cantar e pregar, além de exigir hotéis de luxo, carro importado, etc., é o que muita gente anda fazendo nas igrejas do Brasil.

Até quando os nossos pastores vão continuar aceitando essa farsa espiritual em nome de Jesus?

Até quando vamos ficar assistindo a shows como se fossem cultos de adoração e louvor a Deus?

Até quando “esses prostitutos de púlpito continuarão seduzindo o povo de Deus?

Será que não tem ninguém com o poder da mídia para denunciar essa apostasia que invade as nossas igrejas?

Onde estão os grandes televangelistas do nosso país?

E as convenções o que estão a dizer sobre tudo isso?

Não podemos aceitar essa situação. É tempo de limpeza, separar a igreja das obras da carne.

O Brasil não está avivado, ele está é agitado com muito movimento da carne; ele está seduzido pelo espírito da mentira, e com certeza o Espírito Santo irá usar homens ungidos para por um basta em toda essa palhaçada religiosa.
Vamos lutar por uma igreja santa, por um evangelho bíblico e por uma esperança inegociável. Lute pela sua fé meu irmão!

Os verdadeiros pregadores são aqueles não negociam o púlpito, que não difamam o Único e Soberano Senhor que os resgatou na cruz do calvário, que não mentem em nome do Espírito Santos.
Igrejas que aceitam em seus cultos ou reuniões grupos de dança, campanhas para arrecadar dinheiro para beneficiar falsos pregadores, artistas do louvor que cantam simplesmente para que os seus nomes permaneçam na mídia, não passam de “sinagogas de satanás”.
Não congregue em igreja que tem perfil de palco de curtição!
Igreja não é pista de dança, é CASA DE ORAÇÃO para todos os povos, diz a Palavra de Deus.

Nenhum comentário: