quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

SANTIFICAÇÃO

SANTIFICAÇÃO

Santificação, é um processo gradual na vida do crente. À medida que ele vai se aproximando do Senhor, pela leitura e conhecimentos da sua Palavra, pela vida de oração e consagração, ele vai se tornando mais semelhante ao Senhor, até atingir a estatura de varão perfeito como o é Jesus Cristo:
Efésios 4:13: “Até que cheguemos a unidade da fé; e ao conhecimento do Filho de Deus, a varão perfeito, à medida da estatura completa de Cristo”.

O pecador vem a Jesus, trazendo em si todos os costumes do mundo: Vícios, linguagem imprópria a um filho de Deus, superstições, idolatria, natureza impulsiva, ira-se com facilidade, tem um forte sentimento de vingança, atração para o sexo ilícito, usa roupas indecentes, enfim, tudo que é natural ao mundo de pecado, ele tem em si. Leia vagarosamente, estas passagens: Efésios 4:17-32; 5:1-20, Romanos 1: 18-32.

Nestas passagens, o apóstolo São Paulo, mostra a triste condição que se encontra o homem sem Deus. É, nesta mesma condição, o pecador vem a Cristo e o recebe como Salvador. Ele é salvo imediatamente:
Lucas 23:39-43: “E um dos malfeitores que estavam pendurados, blasfemava dele dizendo: Se tu és o Cristo, salva-te a ti mesmo e a nós. Respondendo, porém o outro, repreendia-o, dizendo: Tu nem ainda temes a Deus, estando na mesma condenação?... E nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o que os nossos feitos mereciam; mas este nenhum mal fez. E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso”. Ao ladrão arrependido, que costuma-se dizer dele o bom ladrão, ele era tão mau quanto o outro. A única diferença, foi que ele reconheceu seus pecados, e os confessou, suplicando a misericórdia do Senhor. A resposta de Jesus foi objetiva: Hoje estarás comigo no Paraíso. Entendemos então, que quando o pecador se rende a Cristo, mesmo carregado dos mais hediondos e desprezíveis pecados, e morrer em seguida, ele está salvo, vai para o Paraíso como ladrão convertido. Vivendo, porém esta pessoa, a nova natureza começa a manifestar-se nele. Nota-se logo uma mudança de comportamento em todos os sentidos:
Nas suas ações – Efésios 4:28: “Aquele que furtava não furte mais; antes trabalhe, fazendo com as mãos, o que é bom, para que tenha que repartir com o que tiver necessidade”.

Na sua linguagem – Colossenses 3:8: “Mas agora, despojai-vos também de tudo: da ira, da cólera, da malícia, da maledicência, das palavras torpes da vossa boca”.

Nos seus sentimentos – Filipenses 2:5: “De sorte que haja em vós, o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus”.
A santificação começa a manifestar-se nesta pessoa, de dentro para fora. De nada adianta vestir uma pessoa de santa se ela não é por dentro. O catolicismo romano enclausura as pessoas, tentando forçá-las a pelo menos ter aparência de santas. Esta santidade é superficial, é exterior. Porém o santificado interiormente, solta-o no mundo, no meio da corrupção e ele se destaca. É como uma garrafa tampada, jogada ao mar. Ela está no mar, porém o mar não está nela. Então para que o crente se santifique, não é necessário ameaça-lo e sim ensinar-lhe a palavra de Deus. A palavra de Deus tem o poder santificador:
João 15:3: “Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado”.
Efésios 5:26: “Para santificar, purificando-a com a lavagem da água pela Palavra”.
Ex: Uma moça aceita Jesus, e recebe a convicção do perdão dos seus pecados, e da salvação da sua alma. Ela não sente necessidade de apelar para os cosméticos e outros recursos artificiais para se tornar mais atraente:
1 Pedro 3:3: “O enfeite delas não seja o exterior, no frisado dos cabelos, no uso de jóias de ouro, na compostura dos vestidos”.
Quando nos referimos a mulher, porque neste aspecto ela é mais tentada. Porém o dever de viver em santidade, é de todos os salvos independente do sexo ou da idade:
1João 3:3: “E qualquer que nele tem esta esperança, purifica-se a si mesmo como também ele é puro”.
1 Pedro 1:15-16: “Mas como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda maneira de viver. Porque está escrito: Sede santos, porque eu sou santo”.
11 Coríntios 7:1: “Ora, amados, pois que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda imundícia da carne, e do espírito, aperfeiçoado a santificação no temor de Deus”.
1 Tessalonicenses 4:3 a: “Porque esta é a vontade de Deus, vossa santificação”.
Hebreus 12:14: “Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor”.
Jesus salva o pecador e outorga-lhe poder para viver em santidade. Porém é o próprio crente que tem o dever de procurar a santificação. Nós sabemos que a natureza carnal e pecaminosa, ainda habita em nós e contra essa natureza, o crente deve lutar para domina-la e prevalecer em nós a nova natureza, recebida através do novo nascimento:
Romanos 7:15-25: “Porque o que faço não aprovo, pois o que quero isso não faço. E se faço o que quero, consinto com a lei que é boa. De maneira que agora já não sou eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim. Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem. Porque não faço o bem que quero mas o mal que não quero esse faço. Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim. Acho então esta lei em mim: que, quando quero fazer o bem, o mal está comigo. Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus. Mas vejo nos meus membros, outra lei que batalha e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros. Miserável homem que sou eu. Quem me livrará do corpo desta morte? Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor. Assim que eu mesmo com o entendimento sirvo a lei de Deus, mas com a carne a lei do pecado.”

Se o Espírito Santo nos adverte de que essa natureza ainda está viva em nós, ele quer nos fazer entender que precisamos lutar contra ela. E para essa luta, o próprio Espírito Santo coloca em nossas mãos as armas necessárias:
Gálatas 5:16-17: “Digo porém: Andai em Espírito e não cumprireis as concupiscências da carne. Porque a carne cobiça contra o Espírito e o Espírito contra a carne e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis.”

O primeiro passo que o crente deve dar para a santificação é deseja-la ardentemente:
I Pedro 2:2: “Desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que por ele, vades crescendo.”

A segunda arma que o Espírito Santos coloca em nossas mãos é a oração:
Colossenses 4:2: “Perseverai em oração velando nela com ações de graças.”

Se nós achamos que a luta é desigual e não há em nós força para vencer a carne, recorramos então ao auxílio do Senhor em oração:
Romanos 8:26: “E da mesma maneira também, o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis.”

O jejum é outra arma à nossa disposição. O crente deve jejuar? Sim, deve:
Mateus 9:14,15: “Vieram depois os discípulos de João e lhe perguntaram: Porque jejuamos nós e os fariseus muitas vezes e teus discípulos não jejuam? Respondeu-lhes Jesus: Podem por acaso estar tristes os convidados para o casamento enquanto o noivo está com eles? Dias virão contudo, em que lhes será tirado o noivo e, nesses dias, hão de jejuar.”

O noivo Jesus Cristo, já nos foi tirado. Estamos esperando a sua volta. Então agora é a época dos crentes jejuarem. O crente, ao jejuar, deve ter uma finalidade específica. A iniciar o período escolhido para o jejum, deve-se orar, dizendo ao Senhor, que estamos lhe oferecendo um jejum por tal finalidade e, neste período pré-determinado, abster-se de toda alimentação, quer sólida, quer líquida. As pessoas casadas devem abster-se também do ato conjugal, com pleno consentimento do seu cônjuge:
I Coríntios 7:5: “Não vos priveis um ao outro, salvo talvez por mútuo consentimento, por algum tempo, para vos dedicardes a oração e novamente vos ajuntardes, para que satanás não vos tente por causa da incontinência.”

Não é necessário sair publicando que está jejuando. Pelo contrário, guarda-se segredo somente com o Senhor. Não se deve aparentar desfigurado com o semblante caído, mas com semblante alegre, como é natural quando estamos gozando de perfeita comunhão com Deus:
Mateus 6:16-18: “Quando jejuardes, não vos mostreis contristados como os hipócritas; porque desfiguram o rosto com o fim de parecer aos homens que jejuam. Em verdade vos digo que eles já receberam a recompensa. Tu, porém, quando jejuares, unges a cabeça, lava o rosto; com o fim de não parecer aos homens que jejuas, e sim ao teu Pai em secreto, e teu Pai que vê em secreto te recompensará.”

Outra arma indispensável no processo da santificação, é a constante leitura da palavra de Deus:
Salmos 1:1-2: “Bem aventurado o homem que não anda no conselhos dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores. Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite.”
Colossenses 3:16: “A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça em vosso coração.”
O crente precisa fiscalizar seus próprios pensamentos, não permitindo a permanência de pensamento impuros ou pecaminosos.
Colossenses 3:2: “Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são daqui da terra.”
Salmos 139:2: “Sabes quando me assento, e quando me levanto. De longe penetras os meus pensamentos.”
Nunca uma pessoa pode ser santificada em toda maneira de viver, se não for primeiro no seu próprio pensamento:
Provérbios 23:7: “Porque como imagina em sua alma assim ele é.”

O crente precisa ter pensamentos santos, olhar santo, andar santo, a fim de agradar o Santo que se fez pecado por ele:
Salmos 103:1: “Bendize, ó minha alma ao Senhor e tudo o que há em mim bendiga o seu santo nome.”
I Tessalonicenses 5:23: “E o mesmo Deus de paz, santifique em tudo e todo o vosso espírito e alma e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis, para a vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo.”

Olhar Santo – Lucas 11:34: “A candeia do corpo é o olho. Sendo pois o teu olho simples, também o teu corpo será luminoso; mas se for maus, também o teu corpo será tenebroso.” Andar Santo.
Gálatas 5:16: “Digo porém: Andai em Espírito e não cumprireis a concupiscência da carne.”
Efésios 4:1: “Digo-vos pois eu, o preso do Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados.”
Colossenses 2:6: “Como pois recebeste o Senhor Jesus Cristo, assim também andai nele.”

Estamos pois em constante luta. Lutemos primeiro contra nós mesmos, contra a velha natureza, e a carne com suas paixões. Lutamos com o mundanismo e os seus corruptos costumes. Lutemos contra Satanás, e suas astutas ciladas. Revistamo-nos pois, de toda a armadura de Deus, e lutemos com santo fervor:
Efésios 6:10-18: “Subamos pois os degraus desta sublime escada chamada santificação, e muito em breve, galgaremos o último degrau. E então encontraremos Jesus Cristo, nosso mui amado Salvador, e com ele ficaremos para todo o sempre. Amém.”

Um comentário:

Steffi de Castro disse...

Eu tenho muitas dificuldades em me santificar, na verdade, eu sei que esse processo está ocorrendo lentamente por falta de mais trabalho da minha parte. Mas vale a pena!