sábado, 17 de janeiro de 2009

O PODER DO AMOR

Deputado Maurício Picarelli.

O poder do amor

“... tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta” (I Coríntios 13:7)
O amor, no sentido mais literal, é um dos poderes específicos da alma, manifestado especialmente através das emoções transformando os estados de potencial em realidade, desenvolvendo a abrindo complemente todos os variados poderes da alma.
O amor não é apenas uma qualidade específica da alma, mas um poder geral, presente na escala completa de propriedades intelectuais, emocionais e intrínsecas da psique humana.
O Evangelista João ao tentar descrever Deus em sua essência (o que é impossível), disse Deus é amor!. É a "luz do Eterno”, cujo ímpeto para criar o mundo e os meios que usou ao fazê-lo.
É a força criativa ou fluxo de energia que vêm de Deus até a "realidade".
A falta de amor é, por analogia, um estado de trevas, com tudo que a imagem de trevas e carência, melancolia e depressão representam a ausência de Deus.
A Criação do mundo, "algo vindo do nada", pelo ímpeto do amor, nos ensina o segredo de trazer potenciais ocultos à realização. O mais forte dos poderes intelectuais da alma, é a vida-força do amor escondidos dentro dela.
O desenvolvimento de qualquer pensamento, plano ou talento acarreta o despertar interior do amor, necessário para desencadear processo de crescimento. O amor é o florescer da alma, e sem ele tudo murcha e perece.
O amor é a força essencial que aproxima as pessoas e que mantém relacionamentos.
A dissipação do amor invariavelmente enfraquecerá, prejudicará ou acabará com estes relacionamentos.
“Deus (a fonte do amor) prova o Seu próprio amor para conosco, pelo fato de ter Cristo morrido na cruz, para perdão de nossos pecados”. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu Seu Filho unigênito, para que todo aquele que Nele crer, não pereça, mas tenha a vida eterna”. (João 3:16)
"Deus deseja ter morada em nossos corações para fazer brotar em nós verdadeiro amor que vem Dele, fazendo-nos objeto de Seu amor.
Assim como Deus nos amou e se fez carne e habitou entre nós (João 1:1 a 10).
Sendo Todo Poderoso desceu ao nível do homem, similarmente, aquele que ama tudo sofre, tudo crê, tudo espera, e tudo suporta.
Que Deus nos envolva com seu verdadeiro amor.
Deputado Maurício Picarelli

Os tipos de crentes de antigamente e os atuais.

Os tipos de crentes de antigamente e os atuais.

Durante os aproximadamente 3 anos e meio de seu ministério o SENHOR Jesus Cristo reuniu em torno de si uma grande multidão de pessoas: algumas para ouvir uma palavra e seguir seus ensinos fielmente, outras interessadas nas bênçãos, enquanto outras procuravam ocasião para condená-lo (Mc 11.18).
Nos nossos dias em nossas igrejas também têm atraído pessoas com diferentes motivações: algumas querem ouvir uma palavra para mudar suas vidas (Hb 4.12) e depois de terem suas vidas transformadas ajudam a proclamar o verdadeiro evangelho (Jo 4.28-30), outras estão interessadas nas bênçãos materiais (carro, casa, dinheiro $), afetivas e curas; e também ainda há as que conhecem as escrituras e não vivem, mas estão prontos a apontar erros e problemas nos outros.
Devido às diferentes motivações podemos observar que há três tipos de crentes atualmente: os "bem suados", os abençoados e os que são uma bênção.
Os crentes “bem suados” são aqueles que correm atrás das bênçãos, mas não querem o Deus da bênção. Vivem atrás de movimentos, de pregadores, cantores e sinais. Gostam de apontarem defeitos e problemas em outros irmãos, mas não olham para si próprios (Mt 7.3-5).
Os crentes abençoados (Dt 28.2) são aqueles que vivem uma vida regrada conhecem as escrituras passam por provas e tribulações e louvam ao SENHOR mesmo assim(Jó 1.21), e a cada dia crescem na fé, na esperança e no amor. (1 Co 13.13)
Os crentes que são uma bênção são aqueles além de serem abençoados é canal de bênção para suas famílias, trabalho, escola e igreja. São os exemplos dos fiéis (1 Tm 4.12), pessoas zelosas por obras excelentes e suas vidas são para servir ao SENHOR normalmente são humildes, pois sabem que toda glória e toda honra pertence ao SENHOR(Is 42.8).
Não precisamos correr atrás das bênçãos, pois se andarmos nos caminhos do SENHOR elas nos alcançarão (Dt 28.2), não precisamos correr atrás dos sinais, pois na verdade os sinais seguiram os que crêem e não o contrário (Mc 16.17).
Seremos abençoados se tememos e andarmos firmemente nos caminhos do SENHOR (Js 1.7-9;Sl 128) e seremos um canal de bênção para todos se compreendermos e vivermos os ensinamentos de Jesus (Mt 5-7).

O perigo de cobiçarmos o aplauso dos homens

O perigo de cobiçarmos o aplauso dos homens
Os cristãos que têm ministério público são os que correm mais risco de cair em dificuldades, porque podem, com muita facilidade, ser tentados a ouvir o aplauso e louvor dos homens. Pregadores, cuidado! É necessário clamar a Deus para que Ele ajude a ouvir apenas a voz Dele, não das multidões que nos elogiam e nos colocam em pedestais.
Os princípios de Deus costumam ser opostos aos nossos.
Embora tenhamos esperança de que todos gostem de nós e nos aceitem, Jesus ensinou:
“Ai de vós, quando todos vos louvarem” (Lc 6:26).
Nunca se satisfaça com o chamado de Deus em si nem com os dons que Ele lhe dá. Contente-se apenas com o próprio Jesus Cristo.
Muitos ouvem a voz de Deus chamá-los para serem "pescadores" do Reino de Deus. Os apóstolos ouviram Jesus dizer: “Passemos para a outra margem”.
(Mc 4:35). Então remaram pelo lago, levando o Mestre, “assim como estava no barco” (v.36). Jesus adormeceu e desabou uma tempestade enorme.
Quando você prosseguir em seu ministério, não deixe Jesus “dormindo” em seu barco! Você pode tentar remar sozinho ou realizar seu ministério com as próprias forças, mas não irá muito longe se o Senhor estiver "dormindo".
Os discípulos logo viram que “as ondas se arremessavam contra o barco, de modo que o mesmo já estava a encher-se de água”. (v.37). ! “Acorde” Jesus e faça Dele o Senhor e Mestre de todos os seus atos! Inúmeros ministérios e igrejas receberam Jesus com alegria no passado, mas hoje prosseguem pela sua própria força e seguindo seus projetos enquanto o Senhor “dorme” no meio deles.

Extraído do livro : "O Homem do Céu"; Irmão Yun ; Editora Betânia.
(Livro que relata a história sofrida de um cristão perseguido na China.)

A SANTIDADE

Extraído do Livro: "O Líder que Deus usa"Autor: Russel Shedd

Santidade

A primeira exigência de um líder cristão é santidade. Ele precisa ser sensível ao pecado que outros possivelmente consideram aceitável. Isaías tornou-se sensível a sua fala impura logo que viu o Senhor exaltado no templo. O tremendo som da repetição de "santo é o Senhor dos Exércitos" pelo serafim, estarreceu-o (ls 6.1-3). Ele gritou:”Ai de mim! Estou perdido!" (v.5). Esse foi o efeito que a visão teve no jovem profeta.

Um sentimento de culpa tomou conta dele no ambiente santo que enchera o templo. O véu, que separava a realidade do céu das coisas terrenas, foi partido. Deus preparou Isaías para liderar, fazendo-o completamente miserável diante de sua natureza pecaminosa.

Deus comanda todos os seus filhos: "Sede santos, porque eu sou santo" (IPe 1.16; Lv 11.44; 19.2). Ele, assim, revela ambos - a base e o padrão da santidade. O comportamento não apropriado para um líder torna a nova natureza dos filhos da luz em uma farsa (Ef 5.8).

A santidade, do ponto de vista humano, coincide com boa reputação. Pedro não somente exortou os crentes da Ásia Menor para serem santos, mas para: "Manter exemplar o vosso procedimento no meio dos gentios, para que, naquilo que falam contra vós outros como de malfeitores, observando-vos em vossas boas obras, glorifiquem a Deus no dia da visitação" (IPe 2.12). O mundo secular do primeiro século acreditava que os cristãos eram maus. Acusações das mais variadas e absurdas foram motivos de mexerico. Contudo, as boas obras dos cristãos e a preocupação amorosa dos crentes continuava a desmentir as acusações pagãs.

A importância da boa reputação de um líder é algo essencial. Confiança é algo tão crucial que uma reputação manchada criará sérios problemas. Não somente pecado sexual, mas todas obras más que possam arruinar o bom nome do líder têm um efeito destrutivo nos seus seguidores.

Os apóstolos alistaram uma boa reputação como a primeira exigência para aqueles que haveriam de ocupar a função de liderança (At 6.3). Na lista de exigências para o' ofício pastoral, "irrepreensível" é a primeira (1Tm 3.2; Tt 1.6). É sábio que uma igreja procure saber o máximo possível à respeito dos seus líderes.

Um líder não cai de repente, mas é como uma árvore em um processo vagaroso de apodrecimento interno; ela cai, quando um vento forte sopra, porque a doença havia enfraquecido a estrutura interior. A falta de compromisso com os princípios éticos e doutrinários deve ressoar como um alerta. A recusa de prestar-se contas a alguém, que não seja a si mesmo e a racionalização dos erros cometidos acarretam o enfraquecimento da consciência.
Capítulo 2 - A SELEÇÃO DOS LÍDERES QUE DEUS QUER USAR

Procurando um Homem com o Coração de Deus

O primeiro passo concentra-se na oração. Em oração, uma pessoa espera em Deus para indicá-la quem ama ao Senhor e verdadeiramente deseja uma vida de intimidade com ele. Da multidão de discípulos que seguiram Jesus foi importante selecionar doze para aprender com ele e sair para pregar (Mc 3.14). Jesus investiu uma noite inteira em oração antes de escolher os doze homens que se tornariam apóstolos (Lc 6.12).

Os onze apóstolos oraram para Deus intervir na seleção do sucessor de Judas (At 1.24-26). Foi durante o período de oração e jejum dos principais líderes da Igreja em Antioquia que o Espírito Santo disse: "Separai-me, agora, Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado" (At 13.2-3).

Procurando um Homem Aprovado
A. É bíblico. Note que o candidato de Paulo para o ministério não pode ser um novo convertido. Ele precisa ser de boa reputação (1 Tm 3.6-7).

Tiago escreveu: "Meus irmãos, não vos torneis, muitos de vós, mestres, sabendo que havemos de receber maior juízo" (3.1). Pedro escreveu para os anciãos na Ásia Menor, indicando que ele tinha em mente os homens mais experientes e aprovados nas igrejas (1Pe 5.1; At 14.23).
B. É prático. A sabedoria demanda que um líder seja maduro, e não infantil. Isso significa que a elasticidade emocional substitui a infantilidade emocional de altos e baixos. Examine a história de Saul outra vez e note a evidência clara de uma personalidade despreparada de experiência e de maturidade para governar a nação. A maneira que ele explicou a sua desobediência (1 Sm 15.15) demonstra claramente um raciocínio de ordem emocional.

C. É previsível. Um líder desaprovado pode conduzir uma igreja ou uma nação ao caos porque ninguém sabe como ele usará o poder que controla. "Poder tende a corromper; poder absoluto corrompe completamente"[1] é mais que um slogan.

Procurando um Homem Disponível

A habilidade e o talento valem muito pouco para os líderes que não estão disponíveis, dispostos e prontos a servir. Paulo exortou Timóteo para escolher homens que continuassem a obra de Deus em Éfeso, e que fossem como soldados que cuidadosamente evitam se envolver nas questões civis. Do contrário, ele desagradaria aquele que o alistou (2Tm 2.4).

A importância da disponibilidade e da disposição de se trabalhar para Deus pode ser mais claramente vista nas exigências que Jesus colocou sobre um homem que ele chamara para segui-lo. Para um candidato que se oferecera seguir Jesus depois de despedir-se de sua família, Jesus disse: "Ninguém que, tendo posto a mão no arado, olha para trás é apto para o reino de Deus" (vv.61¬62).

Procurando um Homem Que é Disposto a Ensinar e a Aprender

A liderança exige o conhecimento e o treinamento. Paulo usa a frase: "apto para ensinar" (1Tm 3.2). A habilidade para ensinar depende do desejo contínuo de aprender.

Porque a vida é dinâmica e o assunto muda constantemente, a liderança eficaz exige o crescimento e a adaptação constante.
[1] A conhecida assersão de Lord Acton, veja E. B. Habecker, The Other Side of Leader­ship, Wheaton, IL: Victor Books, 1987, p. 36.
De acordo com a pesquisa feita com milhares de líderes pela Escola de Missões Mundiais do Fuller, os líderes eficientes "mantém uma postura de aluno durante a vida inteira. Nunca param de estudar; lêem livros que aumentam seu conhecimento e ampliam seus horizontes. Assistem cursos para crescer e melhorar suas aptidões ministeriais”.

A abertura para novas idéias significa que um líder tem um ouvido pronto para ouvir. Uma pessoa que arrogantemente crê que sabe muito mais do que seus seguidores, e que estudo é uma perda de tempo, encontrará desafios em sua liderança.

Procurando um Homem Perseverante

A persistência vem com a firmeza das convicções que uma pessoa mantém. O percurso que ela escolhe é o escolhido por Deus. Esse percurso é mais digno do que qualquer outro.

Alguns dos heróis do Antigo Testamento demonstraram incrível persistência. Começar bem é bom, mas terminar bem é muito melhor. Olhando para a história dos diversos heróis da Bíblia, "a tão grande nuvem de testemunhas a rodear-nos", o autor de Hebreus exorta para que "desembaraçando-nos de todo peso e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta” (12.1).

Veja outras características de uma verdadeira liderança:

· Reconhece os problemas, as dificuldades e as necessidades de um grupo.
· Tem capacidade e potencial indiscutíveis.
· A paciência, a preocupação pela glória de Deus e a perseverança são as qualidades que especialmente se sobressaem.
· É flexível (adapta-se a mudanças e ajusta-se ao inesperado)
· Sua humildade ímpar o faz verdadeiramente maleável nas curvas e travessas do caminho que Deus coloca perante ele.
· Um ministro de Cristo deve ter sua língua, seu coração e suas mãos em concordância.
· Trata as pessoas de igual para igual, pois ser um líder não faz de alguém melhor do que outros, nem mais valioso aos olhos de Deus.
· É generoso com elogios legítimos e encorajamento. Sempre enfatiza as qualidades e virtudes dos outros. Não dá a impressão de que é perfeito, sem pecados.
· A liderança que exclui o fraco, o doente e os membros esquecidos da sociedade, não reflete o ensino de Jesus.
· Para ser um motivador, o líder deve ter a habilidade de despertar e mover as pessoas à ação e à realização, ao mesmo tempo que, satisfaz às suas necessidades.
· O líder precisa de novas idéias, e da sabedoria de Salomão, para avaliar as forças sufocantes e distingui-las dos ventos da mudança que promete melhoramento.
· Um líder planeja cuidadosamente como superar a resistência e tornar a oposição em algo vantajoso para ele.
· Um líder precisa manter renovado o seu vigor nas Escrituras, no seu caminhar com o Senhor e na sua área de perícia. Do contrário, ele perderá a credibilidade com os seguidores que também tenham acesso à fontes boas de informação.
· Um líder soberbo raramente ouve a voz do grupo que lidera, pois é auto confiante. ele pensa que sabe, acima de todos, como dirigir o grupo. A soberba faz com que seja impossível de uma verdadeira dependência de Deus e o ouvir sua voz. Sem a direção divina, um líder soberbo será impetuoso etomará decisões sem a reflexão necessária ou a troca de idéias.
· O líder que mente, que exagera ou que esconde a verdade não tem direito algum de controlar a vida de outros.
· O verdadeiro líder espera coisas grandes de Deus e aspira fazer coisas grandes para Deus.
· Um líder sábio anda na linha que separa a determinação da teimosia.
· A adaptabilidade face de mudanças rápidas é a marca niveladora da liderança de qualidade.
· Alguns líderes podem facilmente cair na armadilha de acreditar que um seguidor que fala a verdade é desleal.
· As decisões sem ouvir as opiniões contrárias podem afundar todo o propósito de existência de um grupo.
· O equilíbrio. Um líder que tem grandes sonhos, mas não tem seus pés no chão, tem pouco valor para a Igreja hoje.

sábado, 10 de janeiro de 2009

TESTEMUNHO DO PASTOR ÁTILA BRANDÃO

TESTEMUNHO DO PASTOR ÁTILA BRANDÃO.
Dt 6:21, Cl 1:13-14

Eu era escravo do diabo. Eu nasci na cidade de Salvador na Bahia, de uma família muito rica da minha terra, muito prestigiada e muito conhecida. E quando eu era muito pequeno de muito tenra idade, algo na casa onde morávamos me chamava muito à atenção. Havia um salão muito amplo, muito grande e dentro daquele salão existiam vários armários que iam do chão até o teto e eles eram de jacarandá da Bahia. E na frente tinha um vitrô de cristal da boêmia, e ali dentro, um sem número de livros, de obras raras,que foram trazidos da Europa por meus avós. E aquilo me atraía muito. Desde pequeno eu chegava ali, começava a olhar aquilo, abrir aquele armário com esforço muito grande e ia compulsando aquelas literaturas. E por que existia aquela grande biblioteca ali e aqueles livros estavam ali e aquilo me chamava a atenção. E eu ia lendo livro após livro e foi criando em mim um hábito de pesquisa, um hábito de ler. E cada vez que eu ia crescendo eu ia alimentando em meu coração um desejo muito grande de ser um cientista. Eu queria ser respeitado na minha terra e no meu país não pelo nome de família ou pelos bens materiais que a família dispunha mas sobretudo pelo intelecto. Eu queria ser um homem muito preparado; eu queria estudar nas melhores universidades do mundo; queria falar todas as línguas que pudesse; queria conhecer os quatro cantos do mundo.Este era o meu anelo, o meu anseio, era o meu ideal. E eu fui crescendo, dia após dia, e iam passando e, num certo dia, quando me dei conta, eu já estava entrando num colégio militar. E depois de ter terminado o meu curso no colégio militar eu fui para uma academia militar. E ali naquela academia militar , após quatro anos, eu fui declarado aspirante oficial nos idos de 1967. E naquele mesmo ano, eu fui declarado aspirante em outubro e, no mês de dezembro, por insistência de uma garota com quem eu namorava, que estava terminando o curso de medicina, eu ingressei na Faculdade de Direito, na Universidade Federal. E aí comecei a estudar, e fui crescendo, fui progridindo como soldado. Eu era muito vaidoso, eu gostava de ser militar. Geralmente os militares, eles usam uma farda onde os botões são dourados: os meus eram de ouro. Eu tinha um cinto que precisava ser burnido todo dia, quando todos os militares mas, o meu era de ouro, não precisava. E eu calçava um sapato de oleado para não precisar polir. Eu era muito orgulhoso e muito vaidoso por ser oficial. Era um grande sonho da minha vida. E os dias foram passando, passando e em 1973 eu fui promovido ao posto de capitão e eu era um dos poucos capitães com vinte e poucos anos de idade que ostentava em meu peito esquerdo três medalhas, uma passadeira completa, e, uma delas era de feitos heróicos. Mas, neste mesmo ano de 1973, eu já estava me graduando no curso de direito. E nós fizemos uma amizade muito grande naquela escola. Desde o primeiro ano, nos idos de 67. Íamos indo amealhando amigos de todas as unidades da nossa universidade. E fizemos um grupo, um grupo composto de pessoas que estudavam medicina, estudavam farmácia, enfermagem, engenharia, nutrição, economia e administração. E, aquele grupo, se reunia quase que cotidianamente no restaurante universitário e nós não permitíamos que outras pessoas entrassem naquele grupo; era um grupo fechado. Nós discutíamos coisas que eram importantes para nós, principalmente aquilo que se dizia fenômenos extra sensoriais e estudávamos a mente humana, aquelas coisas todas e aquilo ia causando no coração da gente um desejo de aprender mais a respeito destas coisas. E, um dia, quando nós menos esperávamos, terminou o nosso curso universitário.E nós estávamos prestes a nos confrontar com a vida profissional. Então fizemos uma aliança: a partir de hoje, nós vamos continuar nos reunindo em cada uma das nossas casas, semanalmente, e não vamos permitir que ninguém faça parte de nosso grupo que não seja doutor, que não tenha um anel no dedo ou diploma de nível universitário. Começamos com aquele pacto no ano de 1973 e seguimos para a vida profissional. E quando nós recebemos o canudo, muitos dos nossos anelos, nossos desejos, dos nossos sonhos se desfizeram. Agora nós tínhamos um desejo muito grande, que era o desejo de ganhar dinheiro, ganhar muito dinheiro, como advogado e montamos um escritório com seis advogados trabalhando conosco e começamos a trabalhar no Fórum da nossa cidade, advogando para multinacionais e eu costumava dizer que o Fórum da minha terra era o maior magazine do norte e nordeste do Brasil, onde se comprava e se vendia todas as coisas.E ali estava eu, advogado, jovem, montado num Mercedes Benz, dirigido por um motorista, vestido a rigor com roupa e com quepe, tinha um menino para carregar minha pasta e eu muito vaidoso e muito orgulhoso entrava ali, vestido de ternos ingleses ou italianos, gravata êrmê, camisa Lacoste, meia Durrê durrê e ia todos dias para aquele Fórum em busca de grandes somas de dinheiro. E nós estávamos trabalhando, nós estávamos prosperando, as coisas estavam funcionando, o trafico de influências era grande e nós estávamos realmente satisfeitos. Mas, eis que um certo dia, eu que era uma pessoa eminentemente vaidosa e que não gostava de apertar a mão de ninguém e se alguém tinha que apertar a minha mão para fechar um negócio, eu queria chegar correndo no escritório, ou em casa, para lavar a mão. E dependendo do tipo de pessoa, passar um pouco de éter ou álcool, às vezes até detergente, alguma coisa porque eu tinha nojo das pessoas.Eu olhava as pessoas como números, como meros volumes e não tinha outro interesse a não ser faturar, ganhar dinheiro e traficar com aquelas influências. Mas, um certo dia, eu ia saindo do fórum da minha terra, o Fórum Rui Barbosa e, ali no portão principal em frente ao fórum, na sua entrada principal, estava o nosso carro parado, com o nosso motorista e quando eu descia com aquele menino que carregava a minha pasta, eu vi um antigo companheiro de caserna, um ex companheiro de quartel e eu vi que ele me viu e, quando eu vi que ele me viu, eu quis dar uma de João sem braço, eu quis abaixar e sair correndo para dentro do carro e ele disse " não adianta correr, eu já te vi".E eu fui correndo e ele disse "eu já te vi". E veio na minha direção, e eu 'que papelão, um sujeito berrando, aqui no meio da praça do fórum, o que que há?' e ele disse: 'Eu queria que você fosse na minha casa hoje à noite'. E eu era exímio mentiroso e eu disse "eu não posso ir porque estou com um compromisso hoje.' Ele fez 'mentira'. E era mesmo! 'Eu quero que você vá na minha casa'. 'O que é que eu vou fazer na tua casa?''Não, você tem que ir'. E ele apertou de todos os lados e eu dei a palavra que ia e fui. E, naquela noite, eu chegava na sua casa, eu conheci a sua esposa, soube ele já era major, e eu encontrei uma grande quantidade de pessoas ali naquela casa. E, aquela senhora, que era a sua esposa, estava sentada num divã, assim no meio da casa, cercada por muitas pessoas, e era o alvo, o alvo das atenções daquelas pessoas. Então, eu admiti, por minha conta e risco próprios, de que era o aniversário daquela senhora e eu fiquei triste com aquele major porque ele não tinha me falado que era aniversário daquela senhora. Porque eu passaria numa loja, compraria uma jóia muito cara e daria a ela na vista de todo o mundo para que ela dissesse 'olha o que ele me deu'. Eu era muito vaidoso.E eu não pude marcar aquele ponto de massagear o meu ego e a minha vaidade naquela noite. Mas, um dado momento, aquela senhora levantou-se e foi para uma sala maior e, naquela sala existia uma mesa no centro dela, uma mesa muito grande, guarnecida por uma toalha de brocado branca. E aquela senhora sentou-se na cabeceira daquela mesa, e chamou-me para sentar do seu lado direito, local de autoridade. E eu fiquei feliz, 'olha como eu sou importante aqui, vou vir sempre aqui nesta casa!' E depois, ela foi posicionando as pessoas ao redor daquela mesa e, de repente, ela deu um sinal para o seu esposo e ele assentou-se em diagonal a mim, eu aqui à direita e ele estava lá do outro lado, na ponta da mesa. E eu comecei a sorrir e ele também sorria, eu creio que ele sorria porque pensava que eu estava gostando mas não era. É que meu coração estava dizendo 'oh, que saudade do quartel, se eu ainda estivesse no quartel, eu ia chegar amanhã no pátio e espalhar que em casa que mulher manda até o galo canta fino'. E ela fez um sinal para ele e ele levantou e apagou a luz. E quando ele apagou a luz, eu entrei em parafuso. Eu disse 'Meu Deus, onde eu fui me meter? O que é que é isso? O que ela vai fazer?' E, quando aquela luz foi apagada, acendeu-se no centro da mesa uma lamparina, uma luz assim muito mostiça, e ela transfigurou-se. Aquela mulher mudou, aquela mulher tão amorável, tão amorosa, tão gentil, assumiu um aspecto diferente e a sua voz ficou como que cavernosa e ela começou a falar de uma maneira diferente. Aquilo metia medo, e, ela dizia coisas a meu respeito: que eu era aquilo, que eu era isso e eu nunca tinha visto aquilo e fiquei impressionado, e fui acompanhando, apesar de haver gostado do ela disse para comigo, porque estava massageando a minha vaidade e, em dado momento, eu não entendia mais nada e a coisa terminou. E quando terminou, eu me dirigi para aquela mulher e lhe disse 'o que é houve aqui? Eu quero saber o que é que está havendo'. E ela olhou para mim e disse ' eu não vou te dizer nada. Você vai tomar a caneta e vai anotar a relação de livros que eu vou te dar e você vai comprar estes livros e vai ler'. Aí deu-se o que se chama na Bahia de juntar a fome coma vontade de comer. Eu gostava de ler e eu falei para o meu motorista, o Celestino, que era uma pessoa a quem eu gostava muito. O Celestino era um crioulo de quase dois metros de altura que eu tinha tirado ele da penitenciária, ele faria qualquer negócio que eu mandasse; era um sujeito preparado. Eu disse: 'Celestino, você vai nesta livraria e traz estes livros e ele trouxe aquele volume, aqueles volumes de livros para mim e eu fui lê-los de um fôlego só, noite a dentro e fiquei apaixonado pela vida daquele sujeito chamado Denizáre Politi Lion Rivelio. O Denizáre Politi Lion Rivelio era médico, era lingüista, era formado em pedagogia, era um homem muito inteligente, muito preparado e eu fiquei totalmente apaixonado pelas suas obras. Talvez você nunca tenha ouvido falar em Denizáre Politi Lion Rivelio porque ele é conhecido pelo seu apelido Allan Kardec. Eu apaixonei-me tanto pelas obras de Kardec que eu saí da Bahia e fui para Paris, atrás de aprender mais sobre ele. E ali num sebo, numa livraria de livros usados, eu encontrei um livro escrito por ele quando ele voltara de Iverdum, onde havia estudado pedagogia aos pés de um dos maiores mestres desta ciência, Pestalose: Le Contradicion. E eu peguei aquele livro e saí lendo e, de lá, fui para a Suíça atrás de conhecer mais a respeito daquele homem e, quando eu retornei, quando eu continuei freqüentando aquelas reuniões, em pouco tempo, eu havia me tornado um médium espírita de todos os dons de mediunidade.Eu era médium de audiência, ouvia no mundo dos espíritos, médium de vidência, via no mundo dos espíritos, médium de incorporação, recebia entidades, médium de transporte, o meu espírito saía do meu corpo e nadava vagueando pelo mundo trazendo respostas para os consulentes e era médium de psicografia, a chamada escrita mediúnica. E comecei a levar aquilo a sério. Eu achava que aquela era a nova, a grande revelação. E comecei a estudar cada livro, e comecei a fazer conferências e comecei a andar por aí e a mostrar que realmente aquilo era o supra-sumo da verdade. E, uma certa vez encontrei-me com um homem muito conhecido neste Brasil, militante nessa área do espiritualismo, que todo o Brasil conhece e, ele conversando comigo, disse: 'Átila, você é um rapaz muito inteligente, e por isso você está assim, mas eu quero fazer um desafio, um grande desafio'. E eu gostava de desafio. Eu gostava de ser desafiado. Eu gosto de ser desafiado. E ele me disse: 'Eu quero que você vá para a limpeza pública do espaço'. O que é limpeza pública do espaço? Ele disse 'É umbanda'. Eu disse: vou. E, com pouco tempo, além de médium espírita de todos os dons de mediunidade, tornei-me ogan de terreiro de ubanda. Ah, mas como eu gostei de ser ogan de terreiro de ubanda.Que coisa boa pra mim era ogan terreiro de ubanda embora cada dia que passava eu me tornava um sujeito mais miserável, mais implacável, mais desgraçado, mais irascível, mais iracundo odiando a tudo e a todos e a mim mesmo, mas, como a ubanda para mim era boa porque me dava as respostas imediatas.Muitas vezes nós estávamos pugnando a causa que envolvia onorários de dois , três milhões de dólares e nós queríamos receber aquilo e estávamos ávidos de receber e procurávamos como corromper o advogado exadverso e ele não topava a parada e dizia que não tinha acordo, que não tinha jeito e nós dizíamos que quinta-feira nós vamos resolver este problema e ele dizia que não tinha dia na semana para resolver e nós dizíamos "vamos resolver' e eu havia feito um pacto, uma aliança com alguém muito poderoso para mim e ele era o chefe de tudo e o nome dele é Satanás. E eu fiz uma aliança de sangue com ele. E quando chegava na quinta-feira eu dizia 'Satanás, eu quero que você me faça um favor' e o que você pedir eu vou te dar. Ele dizia 'O que é que você quer?', na meia noite naquela gira, naquele congar, naquele canzuá, naquele terreiro, eu dizia 'Eu quero que você bata o carro de Dr. Fulano, vire o carro dele, coloque um infarte no coração de fulano de tal, faça com que o juiz Dr. Fulano que não quer dar a sentença, a mulher tráia ele, bote outro homem na cara dele, e brigue dentro de casa com ele, faça um escândalo e eu dou o que você quiser'. E, com 24, 48 horas no máximo, a coisa era realizada. O que é que eu tinha que fazer? Eram coisas simples: apenas oferendas, colocar oferendas nas praias, nas cachoeiras, nos rios, nas encruzilhadas, machos e fêmeas, nas praças, nos jardins. Mas isso a mídia mostra em nosso país, as pessoas fazem isso, eles estão comprometidos com as trevas. E quando você deseja matar alguém, a coisa tem que ser um pouco mais difícil. Você tem que ir ao cemitério, corromper o coveiro, abrir uma sepultura e comer a carne do defunto, para que Satanás te responda. E as coisas iam andando, nós íamos ganhando muito dinheiro, mas, cada dia que passava, eu ia entrando numa depressão muito grande. E, talvez você não saiba, mas todos aqueles que servem ao diabo a nível sacerdotal são obrigados a serem homossexuais. Todos chamados de pai de chiqueiro que o povo chama de pais de santo são homossexuais. Tanto eles como as mães de santo. O diabo coloca nas cabeças deles que exitem entidades que são femininas e que não iam dar bem no corpo deles.Ou eles queiram ou não, são estuprados quando estão na camarinha, naquele período que estão fazendo a cabeça para depois bolar e se tornarem pais de chiqueiro que o povo impropriamente chama de pais de santo ou mães de santo. Pai de chiqueiro e mãe de chiqueiro! Graças a Deus que eu não servi ao diabo a nível sacerdotal, nem nunca quis. Mas este país está mergulhado nesta lama, nesta podridão, e muita gente acha que é muito bonito. E, cada dia que passava, eu entrava num espiral,não tinha paz, não tinha alegria, nada me satisfazia.Era um homem casado com uma médica e nós tínhamos trocado algumas gentilezas em casa e eu lhe disse: 'se você quiser ficar dentro desta casa, quando nós cruzarmos pelo corredor, não toque em mim porque eu tenho nojo, eu tenho asco de você.' E nós vivíamos juntos apenas para manter as aparências porque eu precisava muito dela, porque eu era um sujeito prostituto, cheio de amantes, muitas das quais eu tinha dado carros , apartamentos e dinheiro. E eu precisava daquela mulher, minha esposa, junto de mim para nas festas conseguir a graça de mulheres de outras pessoas. E, em determinada altura da minha vida, a sede e a fome de preencher o vazio que se encontrava no mais recôndito do meu ser era tão grande que eu era médium espírita de todos os dons de mediunidade, ogan de terreiro de ubanda, eu era do Sisho no ei, eu era do hare chistnas, era da meditação transcedental, eu era messiânico, era da ciência cristã, era mestre de massonaria, era mestre rosa cruz, era iogue, era zen budista, era budista, era alquimista, era meditador transcendental, era ocultista, era da "New Age".E, cada dia que passava eu ia ficando pior. Eu não tinha paz, não tinha alegria, não tinha satisfação, não tinha contentamento, era um rebutalho, era um trapo, era um homem perigoso, porque era um homem insólito e sozinho e homens sozinhos tendem a suicidar.E certo dia, porém, eu estava naquele canzuá, naquele congar, naquela gira, esperando dar a meia noite, hora que aquele meu amigo chegava para falar comigo e atender os meus pedidos, em dado momento eu ouvi uma voz que dizia: 'Ai não é o meu lugar.' E naquele terreiro que nós havíamos construído desviando dinheiro e recursos de grandes empresas e só entrava doutor. Ali tinha um mogan do meu lado que era diretor financeiro de uma das maiores construtora deste país,e , olhei para ele e disse assim: 'eu ouvi uma voz'. 'Ora, aqui nós ouvimos vozes' É claro que se você ver um sujeito analfabruto, que não sabe nem ler nem escrever, não tem nenhum nível de escolaridade, e ele consegue saber e falar até nagô, e dizer todas aquelas coisas e descrever cada uma daquelas entidades, nós éramos doutores, eu sabia todos os pontos riscados, conhecia as expressões vocais de cada uma daquelas entidades, sabia quem era pela batida, pela voz, pela maneira de se apresentar, eu sabia tudo aquilo, mas nunca tinha ouvido uma voz daquela maneira: era uma voz diferente.Eu estava acostumado com uma voz de ódio, de imposição, ou você faz ou eu te mato, ou você faz ou eu te arrebento, ou você faz ou vai ter que acontecer, você não pode ir a um aniversário, você não pode ir a tal casamento, você não pode comer isto, você não pode vestir tal roupa, você tem que ir , não pode sair tal dia, eu era escravo do diabo. E aquela voz era uma voz diferente, era uma voz doce, uma voz melíflua, uma voz que dizia:'Aí não é o meu lugar'. E eu fiquei esperando aquilo. Meia hora depois, eu ouvi a mesma voz, o mesmo som, a mesma tonalidade, o mesmo timbre e me dizia'Eu sou o Senhor, aí não é o meu lugar'.E, naquele dia, eu disse 'Nunca mais eu vou voltar neste terreiro.'Conferenciei com o meu amigo que estava ali do meu lado e disse: 'você ta louco?' 'Estou, nunca mais eu volto aqui'. E saí correndo dali em busca do nosso carro e quando eu cheguei naquele carro e abri aquela porta, que posicionei-me no volante, eu tive a sensação de que alguém entrara e se assentara no banco de carona e eu fiquei intrigado porque eu era médium, também vidente, eu via todas as coisas no mundo do espírito, eu não estava podendo ver quem estava no meu lado e eu saí em desabalada carreira e apoderou-se de mim naquela noite um desejo irresistível de morrer.Eu queria me arrebentar, eu queria explodir, eu queria quebrar-me ao meio, e saia naquela madrugada em alta velocidade, cerca de 70 quilômetros pra chegar na minha casa e eu ia em velocidade e, quando chegava na curva, entrava na contramão e só pensava 'vai aparecer uma grande carreta e eu vou explodir em cima dela ou um ônibus ou qualquer coisa' e não aparecia, e, quando chegava num despenhadeiro, jogava pra cima e algo me livrava. Aquela sensação terrível de alguém, aquele calor, aquela coisa crespa no meu lado, e eu ia correndo e, quando dei por mim, estava chegando na minha casa. E nós entramos ali. E eu parei o carro, e olhei para aquele edifício. E era muito vaidoso e eu gostava, coisa que eu mais gostava de fazer cadastro de banco, pra levar aquele monte de títulos para o banco.E chegava ali e a mulher perguntava 'o seu endereço?' 'rua Florianópolis, edifício Porto Príncipe, quarto andar'. E ela dizia 'e o número do apartamento?'e eu 'animal, é o andar todo'. A vaidade: às vezes eu conhecia pessoas assim que nunca tinha visto, dentro do fórum, colegas que vinham de Porto Seguro para Salvador, defender alguns recursos, e dizia 'como é que você vai?' 'eu não sei, não sei nem como é que eu vou, eu estou aqui preocupado' 'você vai no meu avião' pra dizer que tinha avião, às vezes convidava as pessoas para conhecer, ir a Itaparica, 'você vai na minha lancha' para dizer que tinha lancha, 'vai na minha fazenda', vai chupar um cacau lá no sul da Bahia' pra dizer que tinha fazenda. Era uma vaidade terrível, doentia, mórbida. Ao aproximar-me naquela noite do nosso apartamento, eu saltei, fui para o elevador do prédio, e aquela sensação de que algo estava do meu lado me seguindo e eu pulei dentro do apartamento para ver se aquilo se desviava mas também entrou comigo e, pulei dentro do elevador e foi subindo comigo e quando eu cheguei em casa, empurrei a chave e bati a porta mas entrou comigo e eu não podia ver.Fui para meu quarto, era obrigado a fazer uma prece, eu não sabia o porque mas era uma prece mecânica, eu tinha que fazer. E eu sentei-me ali, vesti o meu pijama, estava a beira da cama e comecei a fazer aquela prece e, quando eu olhei para a porta do meu quarto, eu vi quem estava me seguindo naquela noite: era o meu amigo, Satanás, o príncipe das trevas. E ele me disse: 'se você sair de qualquer dessas minhas obras, dos meus trabalhos, eu vou te matar! Eu vou destruir sua mulher e sua filha' . Eu tinha uma filha Andréa, minha filha mais velha. Respondi: 'Satan, vamos fazer um acordo?' ele disse 'O que é que você quer?' 'Eu quero que você mate, agora mesmo, minha mulher e minha filha e me deixe viver'. Eu estava preparado para matar mas não estava preparado para morrer. Eu andava armado com uma pistola Colt 45 dentro de uma bolsa que eu andava a tira colo com dois carregadores tipo cofre, carregado, mas não estava preparado para morrer.E, naquele momento que ele me disse que ia me matar, eu entrei em parafuso e caí esparramado no chão. Eu estava com medo. Eu estava perplexo. Eu estava atônito. Eu não estava preparado para morrer. Então eu fiz o que qualquer homem valente, corajoso faz quando nesses momentos. Botei a boca no mundo, comecei a gritar. E eu gritava e gritava e, quando eu estava no auge daqueles berros, eu senti que uma mão pousava no meu ombro por trás de mim e me dizia: 'Diga Jesus'.E eu disse 'Jesus'. E, quando disse Jesus, Satanás, Lúcifer, estava na minha porta do meu quarto, foi para a cozinha e aí começou a quebrar as coisas na cozinha, virava fogão, e abria geladeira, derrubou tudo e quebrou louça. e eu disse mais uma vez 'Jesus'. E aquela vosinha atrás de mim dizia 'diga tenha misericórdia de mim'.E eu disse 'tenha misericórdia de mim'. E, em dado momento, eu experimentei algo que eu nunca tinha sentido na minha vida. Um silêncio fez-se em toda aquela madrugada e eu experimentei uma paz tão profunda e tão tremenda no meu coração e uma alegria, o colorido da vida, e o sabor de viver. E eu fiquei tão curioso com aquele oráculo que estava atrás de mim, me dizendo o que devia fazer que eu olhei para trás para descobrir quem era e descobri algo que eu não sabia. Ali estava a mulher mais bonita do universo: a minha esposa. Aquela pequena mulher de 1 metro e cinqüenta de altura tinha colocado o seu rosto no chão e sua cara no pó e disse 'Deus, se você libertar o meu marido das garras de Satan, todas as quartas -feiras nós vamos te fazer um culto até a morte'. E a bíblia diz: Este Deus é o meu Deus para todo o sempre e Ele será o meu guia além da morte.

sábado, 3 de janeiro de 2009

Ouem é o Pr: Hidekazu Takayama

Ouem é o Pr: Hidekazu Takayama

O Pastor Hidekazu Takayama nasceu no dia 20 de abril de 1948, na cidade de Rolândia, no Norte do Paraná, sendo filho de imigrantes japoneses: Antonio Izami Takayama e Schizuka Maria Takayama.
Converteu-se ao Evangelho em dezembro de 1964, na cidade de São Paulo e, três dias após aceitar a Cristo como seu Salvador, foi batizado pelo Espírito Santo. Na semana seguinte, começou a participar dos cultos ao ar livre (muito comuns naquela época), bem como dos trabalhos da juventude e da Escola Dominical, aguardando o momento apropriado para dedicar-se totalmente à obra evangelística.
Foi quando, nos idos de 1969, em Curitiba, numa República de Estudantes, o Senhor lhe falou profundamente, dizendo que "uns seriam chamados para evangelistas e outros para doutores". Nesse momento, entendeu imediatamente que era chamado para pregar a Palavra de Deus. Abandonou o projeto da faculdade de Medicina e foi para o Instituto Bíblico de Pindamonhangaba (SP). Após concluir o curso, Takayama dirigiu-se a pequenas cidades do interior do Paraná, para trabalhar e ganhar experiência ministerial.
Atuou em Figueira, Inácio Martins, Rebouças e Irati, onde, na ocasião, também lecionou matemática e ciências no colégio estadual. Posteriormente, o Pastor Takayama foi coordenador-geral da Mocidade de Curitiba e um dos fundadores do IBADEP - Instituto Bíblico da Assembléia de Deus do Estado do Paraná.
Além disso, foi coordenador-geral da Mocidade do Estado do Paraná, época em que foi realizado o maior congresso da história da mocidade paranaense.
No campo ministerial, o pastor Takayama já realizou inúmeras cruzadas evangelísticas no Brasil e no exterior, sentindo que, através delas, o Senhor tem operado poderosamente.
Após 40 anos de incessante atividade evangelística pelo país e fora dele, mantém o mesmo ritmo de trabalho ministerial.
Preocupado com o surgimento de leis que poderiam prejudicar a liberdade da Igreja, foi para o Congresso Nacional, a pedido da Convenção Paranaense e da Convenção Geral da Assembléia de Deus, tendo uma atuação determinante em favor dos interesses do povo evangélico, especialmente na construção de um texto favorável às Igrejas no novo Código Civil.
Ainda hoje é pastor auxiliar da Igreja Evangélica Assembléia de Deus da capital paranaense, atualmente com 80 mil membros e cujo titular é o Pastor José Pimentel de Carvalho, ex-Presidente da Convenção Geral por várias gestões. Casado com Ingrid, o Pastor Takayama tem três filhas, Priscila, Patrícia e Poliana, além de uma netinha, Susana.
O Pastor Takayama já anunciou a Palavra de Cristo em vários auditórios do mundo, especialmente nos continentes americano e europeu, testemunhando a milhares de pessoas que o desenvolvimento do evangelho em nosso país tem sido real, constante e, graças a Deus, irreversível. Sempre atento com o caminho da Igreja e alicerçado em seu conhecimento histórico-teológico, o Pastor Takayama tem sido cuidadoso em suas mensagens e incisivo na preocupação de não permitir que Ela seja levada ao fracasso pelas artimanhas do maligno.
Entende que vivemos numa época diferente daquela dos tempos da Igreja primitiva, com o predomínio da alta tecnologia, mas defende que tais inovações não podem nos afastar dos pilares da santidade. Dessa forma, tem sido um autêntico atalaia dos valores espirituais, sempre determinado a investir no aperfeiçoamento da estrutura de apoio às suas atividades evangelísticas, adquirindo equipamentos de áudio e vídeo de última geração. Deus tem honrado a fé deste seu servo, concedendo-lhe, como exemplo, tempos atrás, a realização de um antigo sonho, qual seja, o de adquirir a "carreta da fé, com o intuito de facilitar a execução de trabalhos evangelísticos de grande porte.
Hoje, este verdadeiro tablado ambulante tem permitido uma grande mobilidade à equipe que o acompanha, servindo, além disso, como um instrumento que facilita, efetivamente, o trabalho dos pastores locais, uma vez que nele estão adaptados todos os equipamentos necessários à realização de grandes eventos.


Brasil Celeiro de bons Pregadores

Pr; Jonas Vilar
Dr.Pastor: Nemir Pereira Mariano

Pr: Patrick Moura


Pr: Luis Carlos Dicara



Pr: Erivaldo de Jesus




Missionario Rafael Silveira





Pr. Yossef Akiva






Pr: Edvaldo Bandeira







Pr. Walter Brunelli




Pr: Silmar Coelho



Pr: Enéas Tognini




Pr: Gorge Linhares



Pr: Abilio Santana



Pr; Marcos Feliciano


Pr: Ciro Sanches



Pr: Samuel Ribeiro



Pr: Ricardo Gondim



Pr: Hidekazu Takayama



Pr: Gilmar Silva




Missionario: Edenisio Rodrigues



Pr; Silas Malafaia


Pr; Nerildo Acioly



Pr: Oseias Gomes




Pr; Paulo Marcelo




Pr: Paulo Lucas Sacramento


Pr: Julio Ribeiro



Pr: Jaime Rosa




Pr: Gilvan Rodrigues


Pr: Jabes de Alencar



Pr: Gilmar Santos



Pr: Josué Brandão



Pr: Carvalho Junior


Pr: Gesiel Gomes



Pr: Napoleão Falcão




Pr: Elson de Assis


Pr: Benhour Lopes


Pr: Adeildo Costa



Pr: Gean Porto.

Quem é Pr: Élson de Assis

Quem é Pr: Élson de Assis

O Pr. Elson de Santos de Assis, nascido em 18 de junho de 1969, na cidade do Rio de Janeiro, filho de de Erval Santos de Assis (in memorian) e Nair Venâncio de Assis Casou em 30/09/95 com Elida de Alcântara Ribeiro de Assis.
Tornou-se Pai em 14/09/99 de João Guilherme Ribeiro de Assis Desceu as águas batismais em 1990 na Ad. De Xerém – RJ. Pr Lourival Machado.
Tornou-se membro da Igreja Assembléia de Deus em Caetés, Bonsucesso –RJ, Pr. Agostinho Aquino da Silva em 1995, Igreja está que faz parte, foi separado ao Diaconato, Presbitério e sendo assim Consagrado ao Pastorado.
É ministro da palavra, pregador pentecostal genuíno, fundador do Ministério Palavra & Fogo, a serviço do Reino, levando a palavra e o fogo para alcançar nações.

Quem é Pr: Gilvan Rodrigues.

Quem é Pr: Gilvan Rodrigues.

Nasceu na cidade Campina Grande Paraíba, começou uma promissora carreira como de jogador profissional de futebol na sua cidade Natal, jogou no Campinense Clube, no Ceara Sporting de Fortaleza e no Sport Clube de Recife no auge da carreira profissional teve um encontro com o Senhor Jesus Cristo que mudou sua vida e mesmo tendo uma proposta irrecusável do Flamengo do Rio de Janeiro prefiriu larga o futebol para servir o Senhor com tempo integral na ocasião foi chamado de louco por muitos mas seguiu em frente.Casado com Enaura Barbosa Rodrigues, sendo a mesma professora, preletora e escritora, pai de 4 filhos: Gilvan Jr, André Wesley, Carlos Alexandre e Cristiane Raquel Rodrigues Fidelis. Com 2 netos: Felipe Wesley e Karoll.Estudou no Seminário Teológico Evangélico do Brasil (STEB) de Belo Horizonte onde se formou em Teologia, desde que começou o ministério tornou se um pregador diferenciado pelo seu estilo vibrante e eloqüente e pela unção de Deus com que ministra a palavra de Deus, passou a ser considerado um dos maiores pregadores do Brasil, obtendo uma das agendas mais solicitadas. É o pastor itinerante que mais vezes pregou nas Convenções das Assembléias de Deus no Brasil e nos Congressos dos Gideões Missionários da Ultima Hora – Camboriú – SC e chamado carinhosamente como pastor de a Bíblia diz: por citar sempre em suas mensagens a palavra de Deus. Viaja o ano inteiro pelo o Brasil como no exterior à convite das igrejas para ministrar em congressos de mocidades, cruazadas evangelistícas, congressos de círculos de oração, Convenções Estaduais e etc. Nos seus constantes trabalhos no Brasil e no Exterior já contemplou muitas maravilhas como: Milhares de almas aceitando Jesus Cristo como Salvador por intermédio do seu abençoado ministério, paralítico andando, mudo falando, e outros milagres para Glória de Deus.

Quem é Pr: Napoleão Falcão.


Quem é Pr: Napoleão Falcão.

Conferencista internacional, o Pastor Napoleão Ribeiro Falcão, filho de Joaquim e Eunice Falcão, nasceu a 09 de Dezembro de 1948 na cidade de Lucena – Litoral Norte da Paraíba.
Casado com a Miss. Virgínia Gama Silveira Falcão, educadora física e atualmente acadêmica do Curso de Direito. Tem três filhas, Ana Eunice, Eliude e Roberta, dois genros, Davino e Pr. António Nery e quatro netos, Felipe, Gabriel, Maria Clara e Maria Fernanda (Gêmeas).
Napoleão Ribeiro Falcão teve o seu encontro pessoal com o Senhor Jesus Cristo no ano de 1969 na cidade de Lucena, quando estava assentado em uma cadeira de barbeiro.
Ali deu-se o maior e melhor momento de toda a sua vida, quando ouviu pela primeira vez o som festivo do evangelho pelos lábios de um homem simples, porém cheio da graça de Deus.
Pouco tempo depois de Ter tido o seu encontro pessoal com Deus foi batizado com o Espírito Santo e com fogo. Com apenas sete dias de fé já havia entrado para a escala de auxiliar de trabalho e começado a pregar o Evangelho com apenas uma mensagem que se encontra no capítulo 20 de Êxodo (“Os Dez Mandamentos”).
E via, pela graça e misericórdia de Deus, o Senhor salvar almas e curar os enfermos.
Veio para o Rio de Janeiro em seguida e aos nove meses de fé foi separado para o Ministério Pastoral. Nessa caminhada já vai completar 40 anos de bênçãos sem limites.
Tendo a oportunidade de levar a Preciosa Semente em mais de 30 países, ganhando as preciosas vidas para o Senhor Jesus Cristo.
Atualmente residindo em sua terra natal, João Pessoa, o Pr. Napoleão Falcão continua levando a palavra que salva, cura e batiza com o Espírito Santo.
Possui uma ótima agenda de compromissos ao redor do mundo e juntamente com sua esposa Miss. Virgínia Falcão, a qual também é pregadora do Evangelho da Paz, forma uma dupla de testemunhas de Jesus Cristo.
Escritor de vários livros, conferencista internacional e articulista das revistas das Escolas Bíblicas Dominicais, Napoleão Falcão é bacharel em Teologia pelo Seminário das Assembléias de Deus e bacharel em Teologia pela Faculdade Teológica de São Cristóvão (EPOE), Rio de Janeiro.
Tem percorrido todos os Estados da nossa Federação e vários países em quatro continentes, levando a mensagem poderosa e transformadora do Evangelho da Graça de Deus.
Experiências marcantes e continuas têm sido vivenciadas por ele, pela sua família e por todos quantos acompanham o seu ministério.
Esta biografia está sendo exposta para que você, querido leitor, faça parte da nossa Família, intercedendo assim pelo nosso Ministério.
Deus em Cristo vos abençoe em tudo.

QUEM É Pr: ABILIO SANTANA.

QUEM É Pr: ABILIO SANTANA.

José Abílio Silva de Santana, filho de Abílio Santana e Dona Dalva, nasceu em 13 de Fevereiro de 1965 na pacata Cidade de (Afonso Pena) hoje Conceição do Almeida - BA. Como Ministro do Evangelho tem percorrido todo o Território Brasileiro, alguns países da Europa, África, América do Norte e toda América Latina. Conferencista e Escritor, possui vários Livros publicados dentre eles "Meu Sermonário". Também possui centenas de mensagens gravadas onde alcalçou a marca de hum milhão de cópias CD´s vendidos. Com temas sempre polêmicos e marcantes destaca seu Ministério com muita unção e avivamento, levando a palavra de Deus em uma linguagem clara e objetiva baseada na palavra de Deus.
Esta biografia está sendo exposta para que você, querido leitor, faça parte da nossa Família, intercedendo assim pelo nosso Ministério.
Deus em Cristo vos abençoe em tudo.

Pr. Ciro Sanches e Pr. Antônio Gilberto

Pr. Ciro Sanches

- Pastor auxiliar da Assembleia de Deus, em Cordovil (RJ)
- Comentarista de revista da Escola Dominical
- Palestrante e articulista
- Autor de livros na área de Jovens e Obreiros
- Chefe do setor de Obras Nacionais da CPAD



Pr. António Gilberto

- Membro da directoria da Global University das Assembleias de Deus
- EUA- Licenciado em Teologia, Letras e Pedagogia
- Consultor teológico da EETAD e FAETAD
- Membro da Directoria da Sociedade Bíblica do Brasil
- Professor e Fundador do CAPED
- Editor da V. Brasileira da Bíblia de Est. Pentecostal

Pr. Ciro Sanches e Pr. António Gilberto.
Conferencistas Homens que Deus levantou para o ensinamento da verídica palavra de Deus.
Dois grandes referenciais no Brasil

Pr: Jabes de Alencar


Pr: Jabes de Alencar.
Um homem a serviço de Deus.
Conhecido por seu carisma e humildade, este grande homem de Deus vem fazendo a diferença no Brasil.
Se você não o conhece, quando conhecê-lo, ficara encantado com o carisma deste homem de Deus.

Tempo de Conquistar.

Pastor: Silas Malafaia.

Tempo de Conquistar.

Os céus são os céus do SENHOR; mas a terra, deu-a ele aos filhos dos homens. (Salmo 115.16)
A partir do que está escrito no Salmo 115.16, é fácil concluir que Deus deu a terra para ser conquistada pelo homem, independente da sua fé. Contudo, é preciso ir ao encontro daquilo que se almeja no âmbito material e espiritual. Mas há uma promessa específica para o povo de Deus em Deuteronômio 28.13: E o SENHOR te porá por cabeça e não por cauda; e só estarás em cima e não debaixo, quando obedeceres aos mandamentos do SENHOR, teu Deus, que hoje te ordeno, para os guardar e fazer. Dentre tantos elementos que podem ser apresentados, destaco seis fundamentais para que você seja um vitorioso:
1)fazer escolhas certas, com base na razão e na Palavra de Deus;
2)ser uma pessoa ativa e produtiva;
3)não desperdiçar os recursos (tempo, bens e talentos);
4)ter disciplina e respeitar regras, princípios e autoridades;
5)ter ambição e projetos.
6)Ter alvos espirituaisA pessoa que deseja conquistar seus sonhos, primeiro, precisa aprender a fazer escolhas certas na vida.
O livre-arbítrio e a consciência nos tornam diferentes dos animais e semelhantes a Deus.
O ser humano é livre para decidir o que almeja.
Quando o faz, suas ações são dirigidas para o seu alvo e para as prioridades que estabeleceu.
No entanto, para definir seus objetivos, deve usar a inteligência (a capacidade de aprender, apreender e compreender) e a sabedoria (a capacidade de discernir as coisas, distinguindo o que é mais importante, com prudência, sensatez).Não permita que suas escolhas sejam feitas com base apenas em emoções, na intuição ou na opinião dos outros. Estes elementos até podem influenciar sua decisão, porém são subsídios secundários. É a Palavra de Deus que deve orientar suas escolhas. Ela é a verdade e a fonte da sabedoria (Pv 3.13-18).Em segundo lugar, se você quer conquistar seus objetivos, preste atenção ao que é dito em Gênesis 2.15: Tomou, pois, o SENHOR Deus ao homem e o colocou no jardim do Éden para o cultivar e o guardar. O Altíssimo colocou o homem na terra para produzir e gerar bem-estar, pois não suporta a improdutividade. Ele chama o servo que não quis ser produtivo de negligente e mau (Mateus 25.26). Com isso, aprendemos que ninguém conquista nada se não for produtivo.Em terceiro lugar, Deus colocou o homem na terra para lavrar, cuidar, zelar, e não para desperdiçar.
O Senhor detesta o desperdício. Em Tiago 4.3, está escrito: Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites. Em Isaías 55.2, o povo é exortado porque gastava o dinheiro com aquilo que não era pão; consumia o produto do seu trabalho com algo que não tinha valor e não alimentava nem o corpo nem a alma. Tem gente que só compra besteira.
Não pode ver uma liquidação, que corre para comprar o que não precisa. Como é que você quer conquistar algo maior se desperdiça tudo com bobagens?Em quarto lugar, quem deseja conquistar seus sonhos, precisa ter disciplina, obedecer às regras, aos princípios e às autoridades. Para se comprar um apartamento, é necessário ter o dinheiro da entrada e arcar com prestações que caibam dentro do orçamento. Isto é uma regra, um princípio que não deve ser quebrado.Ser submisso às autoridades é outro elemento fundamental. O ser humano precisa aprender a obedecer. Não adianta querer fazer o que se quer, desrespeitar o chefe, sublevar a ordem imposta e tentar dar-lhe uma rasteira para ocupar posições maiores.Em quinto lugar, tenha ambição, desejo de conquistar algo superior. Isto será uma força motivadora para você agir na vida. Almeje comprar um imóvel e não mais viver de aluguel; almeje ser um profissional de sucesso, uma pessoa melhor. Mas lembre-se de que, para galgar patamares superiores, você precisa ser liberal.Contudo, ao ambicionar algo melhor e uma posição superior, cuidado com quatro coisas destrutivas que impedem o homem de alcançar seus objetivos: a ganância (desejar algo a qualquer preço, não se importando se é ilícito e se prejudicará seu próximo), a cobiça (a ambição desmedida por riquezas e o desejo desenfreado de atender à sua natureza), a inveja (o desgosto e pesar pelo sucesso do outro) e o egoísmo (o amor e a consideração excessiva por si mesmo, a ponto de desprezar o interesse dos outros).Qual o remédio para esses males? É amar a Deus e a seu próximo como a si mesmo; é ser liberal, bondoso e altruísta!Em Provérbios 19.17 (ARA), é dito: Ser bondoso com os pobres é emprestar ao SENHOR, e ele nos devolve o bem que fazemos. Em Provérbios 3.9,10, há uma grande promessa: Honra ao SENHOR com a tua fazenda e com as primícias de toda a tua renda; e se encherão os teus celeiros abundantemente, e trasbordarão de mosto os teus lagares. Priorizar a Deus e ser bondoso e liberal, abençoando outros com nossos bens materiais, livra-nos da ganância!Além disso, a vida não se resume apenas às conquistas materiais; existem as conquistas espirituais. E a pessoa inteligente considera essas duas dimensões.Sendo assim, estabeleça objetivos materiais, mas não se esqueça de ter alvos espirituais. Deseje conhecer Deus e aprofundar sua comunhão com Ele. Para alcançar este propósito, ore e consagre-se. O Senhor quer manifestar-se e tem coisas tremendas, que você não sabe, para revelar-lhe. Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós (Tiago 4.8a).Também é necessário buscar conhecimento maior da Bíblia. Nunca vi tantos crentes rasos no conhecimento divino. Errais, não conhecendo as Escrituras (Mateus 22.49). Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios (1 Timóteo 4.1).Há um bombardeio na mídia para desmerecer a Bíblia, como se ela fosse um livro de mentiras. Há uma pressão nas escolas para ensinar que o universo é obra do acaso, uma questão de evolução. Há artimanhas de todo tipo para deturpar a Palavra. É tempo de conhecer o Deus que você serve. Só assim poderá dizer como Paulo, em 2 Timóteo 1.12: Eu sei em quem tenho crido e estou certo de que é poderoso para guardar o meu depósito até àquele Dia.O que você está fazendo para este Deus que tudo faz, que salva, liberta, transforma, abençoa e dá vida? Não fique apenas preocupado com a corrida pela sobrevivência. Use seu tempo, seu talento e seus recursos na obra do Senhor também. Seja mais agradável e relacione-se melhor com as pessoas.É tempo de conquistar vidas para Cristo, e você é o maior instrumento para isto! Quantas pessoas você leva à igreja durante o ano? Este é um tempo de uma nova unção de Deus sobre a sua vida, de um novo patamar espiritual! O Altíssimo quer levá-lo a uma nova estação e derramar um óleo fresco sobre a sua cabeça. O Senhor quer levantá-lo com poder e autoridade. Ele quer usá-lo! Saia, então, da mesmice e da mediocridade.Que a mão de Deus esteja sobre você! Que as janelas dos céus sejam abertas! Que coisas novas aconteçam na sua vida! Aquilo que o ouvido não ouviu, que o olho não viu e que não chegou ao nosso coração é o que Ele tem preparado para você.
Autor: PR. Silas Malafaia.

QUEM É PR. SILAS MALAFAIA?


QUEM É PR. SILAS MALAFAIA?

Vice-presidente da Assembléia de Deus na Penha (RJ), igreja que atualmente tem cerca de 12 mil membros, o pastor Silas Malafaia é um conferencista internacional cada vez mais conhecido entre os evangélicos e não-evangélicos no Brasil e no exterior. Organizador de grandes eventos de repercussão nacional, como o Congresso Pentecostal Brasileiro Fogo para o Brasil, realizado anualmente, ele tem como principal objetivo defender a fé cristã, os princípios e os valores éticos, morais e espirituais da Igreja de Jesus Cristo e pregar de forma clara e objetiva a mensagem do Evangelho.Pastor Silas é também vice-presidente do CIMEB – Conselho Interdenominacional de Ministros Evangélicos do Brasil –, entidade que agrega cerca de 8.500 pastores de quase todas as denominações evangélicas brasileiras.Graduado em Psicologia, coordena e apresenta o VITÓRIA EM CRISTO, que anteriormente era chamado IMPACTO.
Este programa está há mais de 25 anos ininterruptos na televisão, sendo transmitido por várias emissoras em rede nacional.
Nos Estados Unidos, é transmitido pela CTNI, e na Europa e África, pela TV Manasat 1.
Estas emissoras alcançam mais de 45 milhões de lares. No Brasil, o Vitória em Cristo tem alcançado altos índices de audiência, competindo, inclusive, com outros programas seculares exibidos no mesmo horário.Como cidadão brasileiro, o pastor Silas foi várias vezes homenageado. Ele recebeu o título de Cidadão Benemérito do Estado do Rio de Janeiro, concedido pela Assembléia Legislativa do Rio, e a medalha de Pacificador, entregue pelo Exército Brasileiro, por sua efetiva contribuição à sociedade.Com um ministério frutífero e expressivo até mesmo no meio secular, o pastor é reconhecidamente o que mais vende vídeos, CDs, DVDs e livros que explicam a Palavra de Deus para os evangélicos e não-evangélicos. Ele é presidente da Editora Central Gospel, empresa que trabalha para atender a imensa demanda de pedidos dos telespectadores do programa Vitória em Cristo que desejam adquirir estudos bíblicos.
Pela graça do Senhor, o pastor Silas tem contado com o apoio das orações dos irmãos em Cristo e as contribuições dos Colaboradores Fiéis para levar adiante o seu frutífero ministério. Ele recebe muitos convites de várias denominações no Brasil e no exterior, para ministrar estudos bíblicos, realizar palestras e pregar em congressos.
O estilo franco, aberto, direto, questionador e nada legalista são características que marcam este servo de Deus que tem sido um incansável propagador do Evangelho.
Humilde e conscientemente, ele atribui o crescimento do seu ministério à direção de Deus na sua vida, à sua fé e à sua obediência aos princípios bíblicos, que o levam a manter-se firme em suas convicções como servo do Senhor.

Você sabia que Deus gosta dos Loucos???

Você sabia que Deus gosta dos Loucos???

O que, Não???!!! Então leia a reflexão e veja se não tenho razão.

Alguma pessoa normal chegaria à frente do mar e diria: Abre-te?
Alguma pessoa normal olharia pra cima e gritaria pro sol: Pára Sol?
Alguma pessoa normal bateria com o cajado numa pedra pra tirar água?
Alguma pessoa normal diria pra um morto há 3 dias: Levanta-te e anda?
Alguma pessoa normal mandaria o mar e o vento ficarem quietos?
Alguma pessoa normal ficaria quietinha sentada dentro de uma cova com leões Famintos?
Alguma pessoa normal ficaria rodando em volta de uma cidade durante 7 dias, cantando, até as muralhas da cidade caíram?

Humm… Eu acho que ninguém faria isso, né ???!!!
Parece brincadeira. Mas já estive pensando sobre isso… E resolvi que também vou ficar “doidão”!!! Afinal… Vocês sabem o que é isso, gente? Uma coisinha chamada FÉ !!!
Quando a gente tem FÉ, a gente olha e vê o invisível!!! E nem se importa com o que os outros vão pensar, pois… Só Deus precisa ver! É assim que quero você hoje: Vendo o Invisível!!! Acreditando no impossível!!! Louco? Doido?…Tudo bem! O nosso Deus é o Deus do impossível!!! E dá a maior força pros loucos! Portanto, hoje saia cometendo loucuras! “Como”: Sonhar!!! E os Realizando!!! E conte comigo!!! Eu também vou te dar o maior apoio! Pois sou seu amigo “maluco beleza”.
E nunca se esqueça: Deus está sempre ao seu lado. Não há problema que Ele não resolva. Confiemos nele e TUDO fará!

É isso ai... por isso que eu vivo falando para meus amigos que sou louco, e eles não acreditam. Mas qualquer dia desses eles vão me ver chegar perto de uma montanha e dizer:
PASSE DAQUI PRA LÁ...ai eles vão acreditar em miM.
SOU LOUCO PORQUE MUITOS ACREDITAM NO QUE OS OLHOS PODEM VER;
EU ACREDITO NO QUE OS OLHOS NÃO VEEM.
SOU LOUCO porque não tenho vergonha de entregar folheto e dizer: JESUS TE AMA.
SOU LOUCO por ser o unico que canta dentro da sala do colégio:
"ELE VIRA RESGATAR QUEM O ESPEROU...
"SOU LOUCO SIMPLESMENTE PORQUE,
A M O J E S U S

“Texto extraído da internet, caso conheça ou seja o autor do mesmo entre em contato para darmos o devido crédito”

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Pastor: Samuel Câmara


Brilhando no Novo Ano

Pastor: Samuel Câmara
Pastor da Assembléia de Deus em Belém

Conta a lenda que a serpente começou a perseguir o vaga-lume. Este fugia rápido, com medo da feroz predadora, e a serpente nem pensava em desistir.

Fugiu um dia, mas ela não desistia; dois dias, e nada.

No terceiro dia, já cansado, o vaga-lume perguntou à serpente:

“Posso lhe fazer três perguntas?”

“Não costumo abrir esse precedente para ninguém, mas já que vou te devorar mesmo, pode perguntar — disse a serpente.


“Pertenço à sua cadeia alimentar?”

“Não”.


“Eu te fiz algum mal?”

“Não”.


“Então, por que você quer acabar comigo?”

“Porque não suporto ver você brilhar!”


Andar na luz em uma sociedade que vive o seu próprio “apagão espiritual”, mas não se dá conta disso, certamente gerará críticas e perseguições. A lenda da serpente e do vaga-lume ilustra bem isso.O conceito de “brilhar” ou “andar na luz” foi utilizado por Jesus, quando se referiu a seus discípulos: “Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte. Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus” (Mateus 5.14,16).O que Jesus estava dizendo, de fato, é que seus seguidores não teriam apenas de falar a verdade, mas vivê-la de modo concreto, sendo exemplos de retidão e amor, pois assim serviriam ao propósito similar da ação da luz no meio das trevas.Um pouco antes de dizer que devemos ser luz, Jesus disse: “Eu sou a luz do mundo: quem me segue não andará em trevas; pelo contrário, terá a luz da vida” (Jo 8.12). Ou seja, não temos luz própria, apenas refletimos a luz que Dele emana, tal como a lua reflete a luz do sol.Jesus é a verdadeira luz. Como está escrito: “Ali estava a Luz verdadeira, que alumia a todo o homem que vem ao mundo” (Jo 1.9). Quando nasceu, Dele foi dito: “O povo que estava assentando em trevas, viu uma grande luz... na região e sombra da morte, a luz raiou” (Mt 4.16).A idéia subjacente ao conceito da luz impregna muitas áreas da vida. Quando a crítica empresta luz a uma obra artística ou literária, está se falando de esclarecimento, de elucidação. Quando falamos de luzes da fé, estamos nos referindo àquilo que esclarece, ilumina ou guia o espírito. Quando procuramos evidência, certeza e verdade sobre algo é porque sabemos que da discussão nasce a luz do conhecimento. Uma pessoa é dita de muita luz quando é sábia. Precisamos de luz, pois o mundo vive as trevas da turbulência: a sociedade está confusa diante de tanta violência, nossas cidades vivem um clima de guerra urbana não declarada, a polícia nem sempre é eficiente, a justiça é lenta, o caos campeia. Isso porque o mundo não anda na luz de Jesus, a única e verdadeira luz para alumiar as nações (Lc 2.32). Andar na luz é viver em comunhão com Deus, é praticar a verdade e o amor que Dele emanam. Não podemos dizer que estamos na luz se praticamos o mal. “Todo aquele que pratica o mal aborrece a luz e não se chega para a luz, a fim de não serem argüidas as suas obras. Quem pratica a verdade aproxima-se da luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque feitas em Deus” (Jo 3.20-21) Quem reflete a luz de Jesus pode viver uma vida altruísta a cuidar dos que sofrem, mesmo que não haja aplausos humanos ou recompensa pecuniária. Como lembra o diálogo entre uma missionária que cuidava de leprosos no Pacífico e um milionário texano. O milionário, vendo-a tratar daqueles leprosos, disse: “Irmã, eu não faria isso por dinheiro nenhum no mundo”. Ao que ela respondeu: “Eu também não, meu filho”. Ela o fazia somente por viver na luz de Jesus.

Se você quer andar na luz, volte-se para Jesus. Ele veio “como luz para o mundo, a fim de que todo aquele que crê (Nele) não permaneça nas trevas” (Jo 12:46).


Esse é o nosso desafio para 2009: andar na luz de Jesus, refletir o brilho de Jesus, mesmo que a “serpente” não suporte nos ver brilhar. Que o nosso brilho incomode as trevas e faça com que Deus seja louvado!Tenha um excelente 2009!


E-mail: samuelcamara@boasnovas.tv