sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Pastor: Samuel Câmara


Brilhando no Novo Ano

Pastor: Samuel Câmara
Pastor da Assembléia de Deus em Belém

Conta a lenda que a serpente começou a perseguir o vaga-lume. Este fugia rápido, com medo da feroz predadora, e a serpente nem pensava em desistir.

Fugiu um dia, mas ela não desistia; dois dias, e nada.

No terceiro dia, já cansado, o vaga-lume perguntou à serpente:

“Posso lhe fazer três perguntas?”

“Não costumo abrir esse precedente para ninguém, mas já que vou te devorar mesmo, pode perguntar — disse a serpente.


“Pertenço à sua cadeia alimentar?”

“Não”.


“Eu te fiz algum mal?”

“Não”.


“Então, por que você quer acabar comigo?”

“Porque não suporto ver você brilhar!”


Andar na luz em uma sociedade que vive o seu próprio “apagão espiritual”, mas não se dá conta disso, certamente gerará críticas e perseguições. A lenda da serpente e do vaga-lume ilustra bem isso.O conceito de “brilhar” ou “andar na luz” foi utilizado por Jesus, quando se referiu a seus discípulos: “Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte. Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus” (Mateus 5.14,16).O que Jesus estava dizendo, de fato, é que seus seguidores não teriam apenas de falar a verdade, mas vivê-la de modo concreto, sendo exemplos de retidão e amor, pois assim serviriam ao propósito similar da ação da luz no meio das trevas.Um pouco antes de dizer que devemos ser luz, Jesus disse: “Eu sou a luz do mundo: quem me segue não andará em trevas; pelo contrário, terá a luz da vida” (Jo 8.12). Ou seja, não temos luz própria, apenas refletimos a luz que Dele emana, tal como a lua reflete a luz do sol.Jesus é a verdadeira luz. Como está escrito: “Ali estava a Luz verdadeira, que alumia a todo o homem que vem ao mundo” (Jo 1.9). Quando nasceu, Dele foi dito: “O povo que estava assentando em trevas, viu uma grande luz... na região e sombra da morte, a luz raiou” (Mt 4.16).A idéia subjacente ao conceito da luz impregna muitas áreas da vida. Quando a crítica empresta luz a uma obra artística ou literária, está se falando de esclarecimento, de elucidação. Quando falamos de luzes da fé, estamos nos referindo àquilo que esclarece, ilumina ou guia o espírito. Quando procuramos evidência, certeza e verdade sobre algo é porque sabemos que da discussão nasce a luz do conhecimento. Uma pessoa é dita de muita luz quando é sábia. Precisamos de luz, pois o mundo vive as trevas da turbulência: a sociedade está confusa diante de tanta violência, nossas cidades vivem um clima de guerra urbana não declarada, a polícia nem sempre é eficiente, a justiça é lenta, o caos campeia. Isso porque o mundo não anda na luz de Jesus, a única e verdadeira luz para alumiar as nações (Lc 2.32). Andar na luz é viver em comunhão com Deus, é praticar a verdade e o amor que Dele emanam. Não podemos dizer que estamos na luz se praticamos o mal. “Todo aquele que pratica o mal aborrece a luz e não se chega para a luz, a fim de não serem argüidas as suas obras. Quem pratica a verdade aproxima-se da luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque feitas em Deus” (Jo 3.20-21) Quem reflete a luz de Jesus pode viver uma vida altruísta a cuidar dos que sofrem, mesmo que não haja aplausos humanos ou recompensa pecuniária. Como lembra o diálogo entre uma missionária que cuidava de leprosos no Pacífico e um milionário texano. O milionário, vendo-a tratar daqueles leprosos, disse: “Irmã, eu não faria isso por dinheiro nenhum no mundo”. Ao que ela respondeu: “Eu também não, meu filho”. Ela o fazia somente por viver na luz de Jesus.

Se você quer andar na luz, volte-se para Jesus. Ele veio “como luz para o mundo, a fim de que todo aquele que crê (Nele) não permaneça nas trevas” (Jo 12:46).


Esse é o nosso desafio para 2009: andar na luz de Jesus, refletir o brilho de Jesus, mesmo que a “serpente” não suporte nos ver brilhar. Que o nosso brilho incomode as trevas e faça com que Deus seja louvado!Tenha um excelente 2009!


E-mail: samuelcamara@boasnovas.tv

Um comentário:

Anônimo disse...

É um homem de DEUS, abençoado, casado, esposo amoroso e pai, um líder abençoado porém penso que a vez dele ser o Presidente da CGADB já passou ! Acredito que nem dos que apóiam o atual Presidente da CGADB, o Pr.José Wellington quanto dos que apóiam o Pr.Samuel Câmara é o mais indicado prá presidir a CGADB a partir da próxima AGO que será em 2013 : Uma terceira via ou até outras vias(quarta, quinta, etc...) será o ideal prá resgatar o respeito e o prestígio de nossa querida CGADB que agoniza diante de tanta politicagem eclesiástica.