sexta-feira, 18 de julho de 2008

A maior oferta

Texto: Extraído do Livro A Verdade Sobre O Dizimo.
Autor; Edenisio Rodrigues.
(João; 3; 16-17). Com efeito, de tal modo Deus amou o mundo, que lhe deu seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. Pois Deus não enviou o Filho ao mundo para condená-lo, mas para que o mundo seja salvo por ele.
Caro leitor, neste texto, nós vemos o pai celestial, entregar seu próprio filho como oferta de sacrifício pela humanidade. (Isaias-53; 1a7). Quem poderia acreditar nisso que ouvimos?
A quem foi revelado o braço do Senhor? Cresceu diante dele como um pobre rebento enraizado numa terra árida; não tinha graça nem beleza para atrair nossos olhares, e seu aspecto não podia seduzir-nos. Era desprezado, era a escória da humanidade, homem das dores, experimentado nos sofrimentos; como aqueles, diante dos quais se cobre o rosto, era amaldiçoado e não fazíamos caso dele.
Em verdade, ele tomou sobre si nossas enfermidades, e carregou os nossos sofrimentos: e nós o reputávamos como um castigado ferido por Deus e humilhado. Mas ele foi castigado por nossos crimes, e esmagado por nossas iniqüidades; o castigo que nos salva pesou sobre ele; fomos curados graças às suas chagas.
Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas, seguíamos cada qual nosso caminho; o Senhor fazia recair sobre ele o castigo das faltas de todos nós. Foi maltratado e resignou-se; não abriu a boca, como um cordeiro que se conduz ao matadouro, e uma ovelha muda nas mãos do tosquiador. (Ele não abriu a boca.).
Porque vós sabeis que não é por bens perecíveis, como a prata e o ouro, que tendes sido resgatados da vossa vã maneira de viver, recebida por tradição de vossos pais, mas pelo precioso sangue de Cristo, o Cordeiro imaculado e sem defeito algum, aquele que foi predestinado antes da criação do mundo e que nos últimos tempos foi manifestado por amor de vós. Por ele tendes fé em Deus, que o ressuscitou dos mortos e glorificou, a fim de que vossa fé e vossa esperança se fixem em Deus.
Vós conheceis a bondade de nosso Senhor Jesus Cristo. Sendo rico, se fez pobre por vós, a fim de vos enriquecer por sua pobreza. O Senhor fez cair sobre ele à iniqüidade de nós todos.
Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores. Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, Aquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fossemos feitos justiça de Deus.
Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados.
Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; mortificado, na verdade, na carne, mas vivificado pelo Espírito;
caro leitor, como Deus nos amou! Diante de tão grande sofrimento e dor do Seu filho Jesus na cruz do calvário, vendo-o morrer como substituto de toda humanidade, carregando em Si todos os nossos pecados, sim, mesmo assim Ele nos amou.Que grande amor por nós pecadores.
Caro leitor, o Senhor Jesus ainda esta de braços abertos a te esperar, não pendurado no madeiro, mas a destra de Deus intercedendo por mim e por você. Assim como o amor levou Cristo a entregar-se a si mesmo por nós em cheiro suave, assim nós devemos andar em amor. Este amor nos leva ao sacrifício que agrada a Deus, colocando tudo sobre o altar.Sabemos que o homem entristece a Deus constantemente, com suas atitudes maléficas, mas quão maravilhoso é poder alegrar a Deus, com nossas atitudes benéficas. Caro leitor aproximar-se de Deus custa caro. Não podemos aproximar-nos de qualquer forma; Deus indicou o caminho e estabeleceu o preço. Nós devemos chegar-nos com verdadeiro coração, “tendo os corações purificados da má consciência, e o corpo lavado com água limpa”. É o sangue do Senhor Jesus que purifica nossa consciência das obras mortas. Não podemos andar no pecado e ter comunhão com ele.
Por essa razão rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.
Porque pela graça que me foi dada, digo a cada um dentre vós que não tenha de si mesmo mais alto conceito do que convém; mas que pense de si sobriamente, conforme a medida da fé que Deus, repartiu a cada um.
Que Deus em Cristo vos abençoe.


Nenhum comentário: